Mudar de escola: 5 dicas para facilitar a transição

Escolher um novo colégio para o filho ou filha não é tarefa fácil. Afinal, há muitos pontos a avaliar antes de decidir mudar de escola. É preciso analisar o trabalho pedagógico, a estrutura física do lugar, o trabalho que a escola desempenha em relação às necessidades físicas e emocionais da criança, entre outros quesitos.

 

Em breve, eu mesma enfrentarei essa situação. O meu filho mais velho, atualmente com cinco anos e no Jardim II, só terá mais um ano na creche-escola que o acolhe de forma sensível e eficiente desde os cinco meses de idade. Com base na minha experiência e nas conversas com outros pais sugiro, abaixo, o que observar na busca pela escola “ideal”.

 

ALINHAMENTO DE VALORES

 

 

Um dos pontos que considero mais importantes é avaliar se os valores da escola estão alinhados aos dos pais. Quando esse aspecto não é levado em conta, aumenta a probabilidade de conflito no decorrer do ano letivo. Portanto, saiba o que você espera da escola e do que não abre mão. Cada família tem seus próprios aspectos a considerar.

 

PROJETO PEDAGÓGICO

Dica semelhante serve para o item “linha pedagógica”. Existem várias e muitas escolas costumam aplicar uma combinação de duas ou mais teorias. Considero que não há um método mais eficaz do que o outro. Cabe aos pais entender qual estilo se adapta melhor às necessidades do filho, em cada etapa de formação. Entre as linhas pedagógicas mais comuns, destaco:

 

Tradicional: Dá ênfase no conteúdo. O professor é o transmissor do conhecimento e mais rígido em relação à normas e conduta disciplinar.

 

Construtivista: Organiza a aprendizagem de acordo com as etapas do desenvolvimento mental. Privilegia atividades que levam o estudante a aprender a aprender. Valoriza os conhecimentos anteriores do aluno.

 

Sóciointeracionista - Semelhante ao construtivismo, com ênfase na dimensão sociocultural do estudante. Dá importância ao contexto em que se aprende. Foca nas atividades de grupo, na linguagem e no relacionamento interpessoal.

 

Montessoriano: Busca desenvolver a autonomia e o senso de responsabilidade da criança pelo próprio aprendizado. O ensino é ativo, enfatiza os exercícios de concentração individual e, nas fases iniciais, estimula a manipulação e montagem de objetos. O professor é o guia que ajuda a criança a superar dificuldades. 

 

ANTES DE MUDAR DE ESCOLA, VISITE E BUSQUE REFERÊNCIAS 

 

 

Faça uma lista das escolas que você gostaria de matricular o seu filho/filha e converse com outros pais que têm crianças nesses locais. A troca de referências ajuda bastante. Mas não deixe de visitar a instituição também. É nessa hora que você terá convicção se o local é ou não o mais adequado.

 

AVALIE A ESTRUTURA FÍSICA

 

 

Se possível, conheça todas as dependências da escola. Avalie:

 

  • Se os banheiros são limpos e têm assentos de tamanho adequado;
  • Se as salas de aula recebem os alunos confortavelmente e em segurança;
  • Se há espaço ideal para recreação. Afinal, o espaço físico também é educativo, principalmente para os menores.

 

DISTÂNCIA

 

 

A localização deve ser levada em conta para garantir o conforto físico das crianças. Muitas vezes, elas chegam cansadas à escola em função do tempo que passam em deslocamento. Se o colégio dos seus sonhos fica muito distante da sua casa, pense na rotina de família. Se você tem dois ou mais filhos, pode se deparar com a dúvida: colocar todos na mesma escola ou mantê-los em instituições separadas, mais apropriadas à idade de cada um? Não há regra, isso varia de acordo com a família.

 

Escolha feita... é hora de monitorar o desempenho e a adaptação da criança. Penso que se ela estiver feliz, satisfeita, interessada em ir à escola e em aprender, contando coisas positivas e com entusiasmo, é um sinal de que a escolha foi adequada.

Receba o nosso boletim

Ad
Ad