Meditação na infância traz benefícios para a vida toda

Televisão, internet, jogos interativos, acesso cada vez mais cedo ao celular e agendas repletas de atividades extracurriculares. Ufa!! A agitação e o estresse chegaram com força à rotina dos pequenos. E nesse dia-a-dia conectado, uma pausa na rotina ajuda demais. É nesse contexto que entra a meditação: prática milenar surgida na Ásia, que ajuda a aquietar o corpo e a mente para alcançar relaxamento.

 

Meditação: o que é exatamente?

 

De maneira geral, as pessoas associam meditação a momentos de extremo silêncio, em que não se pensa em nada. Mas o indiano Osho, mestre na arte da meditar, define essa técnica como algo muito mais simples. Para ele, meditação nada mais é do que focar a atenção em algo concreto e no momento presente. Pode ser num pensamento, num objeto, numa imagem, num som ou no próprio corpo, por exemplo. Dessa forma, “correr, dançar, nadar, qualquer coisa pode ser meditação. É sempre que corpo, mente e alma estiverem funcionando no mesmo ritmo”, explica o guru.

 

Por que ensinar meditação para crianças?

 

Nós, adultos, costumamos dizer que criança não tem preocupações. Mas se analisarmos a rotina dos pequenos mais cuidadosamente, veremos que não é bem assim. A grande quantidade de atividades, o uso excessivo de eletrônicos, a cobrança exagerada por resultados na escola, as questões com bullying e até mesmo os problemas familiares (que eles percebem, não se engane) interferem no pensamento dos pequenos. A falta de maturidade para tratar essas questões pode levar, por exemplo, ao:

 

  • Estresse
  • Tristeza
  • Depressão
  • Ansiedade
  • Problemas de atenção, concentração, foco e comportamento

 

Nesse cenário, ajudar a criança a se acalmar através da meditação é também uma maneira de ensiná-la e se conhecer melhor e a estreitar vínculos com ela própria. Tem, ainda, outros benefícios, como:

 

  • Melhoria da qualidade do sono
  • Mais facilidade de concentração
  • Pensamento criativo
  • Mais autocontrole
  • Diminuição da ansiedade e do estresse

 

Meditação: como praticar?

 

Especialistas no assunto dizem que por volta dos dois ou três nos já é possível introduzir a criança no universo da meditação com atitudes simples. Lembre-se, no entanto, que esse deve ser um momento prazeroso. Não exija e nem espere que uma criança fique dez minutos paradinha, em silêncio. É preciso respeitar a maturidade emocional dela. Entre as sugestões de táticas para iniciar o contato da criançada com a meditação, estão:

 

  • Recorrer às histórias. Apenas fechar os olhos, respirar e inspirar não é atrativo para a criança. Se ela já consegue acompanhar histórias de forma concentrada, use esse recurso para introduzir a meditação de maneira lúdica. Afinal, histórias conversam com as emoções e os sentimentos de forma única;

 

  • Brincar é outra excelente opção. Você pode, por exemplo, ensinar a criança a usar uma ampulheta para observar a areia caindo, colorir mandalas, colocar o brinquedo favorito sobre o peito e observar como ele se movimenta enquanto respiramos... tudo isso vale porque ajuda a acalmar e a ter foco! Se a diversão incluir ações relacionadas à postura corporal e à respiração, melhor ainda!

 

  • Dedique tempo a passeios ao ar livre para contemplar a natureza;

 

  • Em casa, sugira momentos de relaxamento. Sente-se confortavelmente com a criança, respire tranquilamente e foque a atenção na atividade em família para que a mente se acalme. Poucos minutinhos por dia são suficientes.

 

 

Ah! Abaixo, segue uma super dica de livro para ajudá-lo ainda mais na descoberta desse universo de serenidade.

Clique na foto e veja como esse livro pode te surpreender!!

 

Receba o nosso boletim

Ad
Ad