Carnaval: quando o país e o seu filho entram no mundo do faz de conta

“Mamãe, já chegou o dia do bailinho de carnaval da escola? Eu quero ir de homem aranha”.

 

Essa foi a pergunta que Pedro, o meu filho de três anos, mais repetiu nas últimas semanas. E sempre... com a mesma euforia e empolgação.

 

Carnaval do Pedro

 

Aí, o jeito foi entrar no embalo da folia e ir atrás de mais uma fantasia de super-heroi. E valeu a pena: Pedro ficou tão feliz que virou homem-aranha na mesma hora e deu várias voltas ao redor da casa com a energia típica do personagem. Ou melhor: com pique de folião!!

 

Mas...nem sempre foi assim:

 

CRIANÇA E IMPREVISTOS NO CARNAVAL

 

Pedro tinha nove meses de vida no primeiro carnaval dele. A vovó Margarete fez uma fantasia de palhacinho e todos estávamos super ansiosos para levá-lo ao bailinho. Mas na véspera do carnaval, uma sexta-feira, os sintomas do que considerávamos apenas uma gripe evoluíram. Pedro precisou ser internado. Era pneumonia e ele só saiu do hospital na quarta-feira de cinzas. A “Unidos da Pneumonia” ganhou o título daquele ano! Mas, felizmente, tudo se resolveu e ele pôde tirar, pelo menos, uma foto para não deixar a data passar em branco.

 

 

OUTROS CARNAVAIS

 

Nos anos seguintes, Pedro aproveitou para valer - tanto nos bailinhos da creche quanto nas matinês. Para acompanhar o ritmo do folião estreante, todos da família tiveram que entrar no embalo e seguir a maratona de marchinhas.

 

 

A IMPORTÂNCIA DESSE MOMENTO

 

Para a criança, o carnaval é mais uma oportunidade de praticar o faz de conta e colocar a criatividade na avenida. E é através da roupa que ela vivencia essa magia. Quando bem aproveitada, essa festa popular vira um importante instrumento de socialização, bom-humor e alegria. 

 

Serve também para despertar habilidades voltadas para a dança, música e arte. Além disso, ver todos à sua volta fantasiados, brincando e se divertindo também é algo que desperta o interesse e estimula a imaginação. Pedro fica fascinado ao ver adultos “entrando no clima” das brincadeiras.

 

 

DEIXE A CRIANÇA À VONTADE

 

Para garantir que Pedro ficasse à vontade, sempre optei por fantasias confortáveis e que dessem liberdade de movimento. Vale verificar também se o elástico aperta, o tecido irrita a pele ou se a roupa tem algum adereço incômodo, entre outros detalhes.

 

Outra dica é levar uma fantasia reserva. Ah! Não esqueça de dar bastante líquido para a criança e de ter sempre algo na bolsa que ela possa comer. Agora, é só cair na folia com ele e aproveitar!!!!